A Sombra que habita em nós.

Por René Schubert.


Foi a partir desta ilustração de Sako Asko que circula nas mídias sociais e da frase do médico psiquiatra e psicanalista Carl Gustav Jung "O que negas te submete, aquilo que aceitas te transforma" que surgiu esta breve reflexão do conceito de Sombra da psicoterapia analítica.


O criador da psicologia analítica define Sombra como "aquilo que uma pessoa não tem desejo de ser". Em outra descrição: Aquilo que é invisível, rechaçado, agressivo, negado, odiado, repudiado, vingativo, primitivo, pavoroso.


A Sombra, quando negada, ou ignorada, muitas vezes atua como processo de auto-sabotagem psíquica, afetando direta e indiretamente, escolhas, comportamentos, falas, posturas.


O autor Deepak Chopra aponta que o Efeito sombra pode ser entendido como tudo aquilo que não aceitamos de negativo em nós mesmos e que não queremos mostrar aos outros. É aquilo que nos incomoda, mas escondemos, ignoramos, porque temos medo de lidar com eles. Podem ser sentimentos, emoções, eventos traumáticos e traumas adquiridos desde a nossa infância.



Desta maneira a Sombra é tudo aquilo que não queremos ser, mas somos. É aquele sentimento escondido de todos, e por ser tão escondido de todos, acabamos por visualiza-lo nos outros e então apontamos e julgamos o outro. Projetamos no outro, por não reconhece-lo em nós mesmos. E neste momento diversas emoções entram em ação: medo, raiva, culpa, rancor, mágoa, entre outros.


A sombra não reconhecida em nós manifesta-se na forma de comportamentos, crenças e ações que em seus efeitos a curto e longo prazo, são prejudiciais ou nos mantem em um ciclo repetitivo e desgastante emocionalmente.


Carl Gustav Jung relaciona como correlativos à sombra o oculto, obscuro, o inconsciente, o misterioso. Tanto o conceito de Luz como o da Sombra fazem parte de nós. Fazem parte de nossa psique, ou seja, de nosso aparelho psíquico, de nossa personalidade e mundo interno. Todo ser humano possui aspectos de luz e de sombra. O comportamento de auto sabotagem é assim, um fator comum a todos os seres humanos, sem exceção.


Esta temática do conceito de sombra é comum aos consultórios de psicologia, onde os clientes trabalham seus aspectos ocultos e padrões repetitivos, negativos e de auto sabotagem. É um conceito trabalhado também por filosofias e técnicas do oriente, como a Yoga, as Artes Marciais e as técnicas diversas de meditação, por exemplo.


O aprendizado que temos que obter em relação à sombra é como integra-la à nossa vida. Como tomar consciência desta em nosso dia a dia e, a partir desta percepção e reconhecimento, utiliza-la a nosso favor e não contra. Aprender com esta, desenvolver-se nela e integra-la em nossa consciência e vida diária.


Como metáfora posso aqui também sugerir o conto indígena dos dois lobos:


‘Certo dia, um jovem índio chegou perto de seu avô buscando por conselhos. Pouco tempo antes, um de seus companheiros na tribo havia cometido uma injustiça e, este jovem índio tomado pela raiva resolveu buscar os sábios conselhos do ancião. O velho índio olhou fundo nos olhos de seu neto e disse: “Eu também, meu neto, às vezes, sinto grande ódio daqueles que cometem injustiças sem sentir qualquer arrependimento pelo que fizeram. Mas o ódio corrói quem o sente, e nunca fere o inimigo. É como tomar veneno, desejando que o inimigo morra. Várias vezes lutei contra esses sentimentos. É como se existissem dois lobos dentro de mim. Um deles é bom e não faz mal. Ele vive em harmonia com todos ao seu redor e não se ofende. Ele só luta quando é preciso fazê-lo, e de maneira reta. Já o outro lobo… Este é cheio de raiva. A coisa mais insignificante é capaz de provocar nele um terrível acesso de raiva. Ele briga com todos, o tempo todo, sem nenhum motivo. Sua raiva e ódio são muito grandes, e por isso ele não mede as consequências de seus atos. É uma raiva inútil, pois sua raiva não irá mudar nada. Às vezes, é difícil conviver com estes dois lobos dentro de mim, pois ambos tentam dominar meu espírito.”


O garoto, surpreso perguntou ao seu avô: “Mas qual deles vence?”


O avô sorriu e respondeu baixinho: “Aquele que eu alimento.”’




Fontes para pesquisa:


O Efeito sombra - Deepak Chopra, Debbie Ford e Marianne Williamson

O Ciclo da Auto-sabotagem - Stanley Rosner e Patricia Hermes

Sobre sentimentos e a sombra - Carl Gustav Jung

Youtube – Canal Janela da Alma – Psicanálise: https://youtu.be/ArcQ9XTwym0

379 visualizações

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Contatos: