Aprendizados da Pandemia


Por Marcelo Cândido.


Algumas pessoas dizem que são nos momentos difíceis que aprendemos com maior eficácia e que nossos recursos e habilidades são postos à prova. Só que isso não é uma regra! Para outras pessoas, quanto mais fácil e com mais privilégios, melhor para aprender ou viver; como temos acompanhado alguns acontecimentos na atualidade.


Enquanto para alguns com recursos financeiros - não há mal algum nisso, para aqueles que conquistaram com mérito - os desafios são como se relacionar em casa e lidar com o tédio da rotina doméstica, enquanto para a grande maioria da população pobre (os invisíveis) a luta é pela sobrevivência.


O que podemos aprender nestes tempos sombrios? Quais novos hábitos vamos cultivar? Quem sabe descobrir em nós um talento adormecido ou dominar uma nova ferramenta tecnológica? Oxalá desenvolver a empatia por aqueles com dificuldades ou que não têm as mesmas oportunidades que nós...


O exercício da tolerância e respeito pelo outro que pensa diferente de nós, valorizar a importância da gentileza e dos pequenos gestos, o significado de um abraço ou aperto de mão, talvez sejam alguns dos grandes aprendizados dessa pandemia.


Acreditamos que atualmente, como no próximo normal uma das grandes habilidades seja a capacidade de dialogar. Como é “complicado” ouvir e compreender a visão de mundo do outro, pois desejamos impor nossas verdades e conceitos a qualquer preço. Se nossas verdades são coerentes com nossa forma de ser, quando nos deparamos com opiniões diferentes, estas servem para verificar a congruência interna e o quanto de solidez têm para cada um de nós.


Num outro prisma, através do diálogo exercemos de fato a tolerância em saber ouvir sem preconceito ao outro, construindo através de contextos e histórias de vida diferentes das nossas um saber coletivo que pode contribuir em diversas esferas da convivência humana.

A irritação e a intolerância podem evidenciar a dificuldade na autogestão das emoções e expõe nossas fragilidades, com uma necessidade de “vencer” o outro e fazer prevalecer o que pensamos ou acreditamos a qualquer custo.


Vamos aproveitar a oportunidade que essa crise nos trouxe, além da triste perspectiva das mortes, misérias e dores que verificamos todos os dias, para ser um momento de profunda reflexão, de aprendizado, mudança de hábitos, desenvolvendo novas atitudes e descobrindo novos talentos e nossos recursos internos que temos a disposição.


Qual hábito desagradável você deixou de fazer? Quais as habilidades novas você aprendeu nesses tempos? Qual hábito saudável você conseguiu inserir na sua rotina diária?


Independente de nossas respostas, é importante investirmos em nosso autodesenvolvimento com sólidos passos, sejam eles grandes ou pequenos, com a intenção de se conhecer melhor a cada momento e evoluir constantemente.


Vamos em frente!

18 visualizações

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Contatos: