Autoconhecimento

Por Marcelo Cândido


Acredito muito que a máxima: “Conhece-te a ti mesmo!” faz cada vez mais sentido nos dias atuais.


Acompanhamos diariamente nas mídias sociais e meios de comunicação o desequilíbrio da sociedade como um todo: personalidades, políticos, profissionais e pessoas comuns que não conseguem lidar com suas frustrações, com as adversidades da vida, a intolerância com o outro e a falta de empatia, tomam cada vez mais lugar em nossos pensamentos e ações.

Como sair desse fluxo? Como deixar de se comportar como bárbaros ou seres que não se colocam no lugar do outro? Como não magoar ou acabar com o dia das pessoas que mais amamos? Como lidar com chefes e companheiros de trabalho que são tóxicos?


São questionamentos que todos nós fazemos em nossa rotina cotidiana, seja na família, nos círculos de amizades, no trabalho ou igreja, enfim nos diversos grupos sociais dos quais participamos. Como fazer diferente?


Na minha experiência como gestor de pessoas e terapeuta sistêmico, avalio que uma das possíveis respostas é um compromisso pessoal e individual com a mudança interior e de atitudes. O primeiro passo é querer! Desejar profundamente o processo de mudança, e isso implica lidar com dores não tão bem resolvidas, questões que ainda machucam nosso coração e bagunçam nossa cabeça e nosso ego. Muitas destas questões ferem nosso orgulho, nosso individualismo, pois às vezes temos a sensação de nos tornamos bobos ou escravos do outro ou de determinada situação. Na verdade quando temos coragem de olhar para nossas misérias ou dificuldades, sem julgar ninguém ou culpar qualquer pessoa ou circunstância da vida, já demos o primeiro passo sincero para um caminho de transformação pessoal. Logicamente a decisão é individual, mas precisamos de auxílio e que devemos procurar, não somente com as pessoas que nos rodeiam, mas ajuda de profissionais capacitados e que estudaram para isso.


Vejo muitas pessoas reclamarem da vida, colocando seus fracassos como obra do acaso ou culpa de alguém que não suportam conviver, no governo ou na economia, enfim, a responsabilidade é sempre do outro... nunca minha. Por isso, é tão difícil iniciar uma terapia, um tratamento psiquiátrico ou psicológico. Normalmente vamos tomar consciência da nossa pior versão e nos deparar com atitudes nada agradáveis e faremos um esforço hercúleo para deixá-las para trás. Como também é possível visualizar nossas virtudes e o que temos de melhor, fazendo essa viagem interior com auxílio de um bom profissional ou de várias ferramentas comportamentais disponíveis atualmente.


Acredito que as mudanças significativas são aquelas que vão ocorrendo diariamente, gradativamente, fruto de um compromisso profundo com a mudança de si mesmo, fazendo diferente aquilo que é possível, assumindo o controle de nossa vida e não delegando essa responsabilidade a ninguém. Essa transformação é consequência de uma tomada de consciência e um trabalho árduo de modificar pensamentos e formas de agir, que exige compromisso pessoal diário e disposição para mudar velhos hábitos.


Quando temos essa postura, passamos a aceitar mais as situações e as pessoas, bem como, deixamos de ser tão egoístas e ter a vontade de querer mudar a todos em nossa volta.


Esse movimento de ir ao encontro de nós mesmos é maravilhoso e somos os primeiros a perceber os ganhos e consequentemente, as pessoas que convivem conosco. Paradoxalmente, quando pensamos primeiramente em nós, conseguimos agir naturalmente com o outro e assim temos uma atitude plena e segura diante da vida e dos desafios que ela nos apresenta!


Se você ainda acredita que terapia ou psicólogo é coisa pra louco, reveja seus conceitos! Nada é mais urgente que cuidar de si mesmo e se descobrir, pois quando temos consciência dos nossos pontos fracos e fortes, saberemos lidar melhor com nossas emoções e ter um equilíbrio que falta na maioria das pessoas hoje em dia. Isso não quer dizer que vamos nos tornar perfeitos, mas conscientes de quando agirmos por impulso ou de uma maneira que não apreciamos, vamos logo identificar essa forma de agir e num breve espaço de tempo tomar uma atitude para corrigir a situação ou não tornar a repetir o mesmo comportamento.


Toda pessoa que se conhece bem, tem uma probabilidade maior de se tornar bem-sucedida em seus negócios, projetos e relacionamentos, não porque estará isenta de problemas ou dificuldades, mas conhecendo a si mesmo saberá impor limites a si e aos outros, prevenindo situações desagradáveis.


Faça sua viagem de autoconhecimento, é um belo caminho de crescimento, fortalecimento e conquista pessoal.


Vamos em frente!!!


59 visualizações0 comentário