Com estresse?Abrace!

Por René Schubert.


“Mas o melhor do abraço não é a ideia dos braços facilitarem o encontro dos corpos. O melhor do abraço é a sutileza dele. A mística dele. A poesia. O segredo de literalmente aproximar um coração do outro para conversarem no silêncio que dá descanso à palavra. O silêncio onde tudo é dito...” Ana Jácomo


Como abordado nas colunas de 2020, a pandemia fez com que nos afastássemos e distanciássemos de amigos, colegas e mesmo familiares. Isto mudou a forma como íamos ao trabalho, aos estudos, à academia, ao clube, ao parque, ao museu, ao cinema, às lojas, aos restaurantes, aos eventos sociais, aos encontros de família ou amigos, à praia, ao encontro romântico, aos encontros “às escondidas”...entre tantos outros. Tais movimentos e rotinas foram quase reduzidos a zero. Por conta disto alteramos diversas trocas e ritos sociais. Claro, nos adaptamos, nos flexibilizamos, adotamos o distanciamento e recolhimento social por conta de sua importância e eficácia neste momento de crise em termos mundiais. A humanidade adaptou-se. E mudou radicalmente diversas formas e jeitos do “fazer”, do “tratar”, do “negociar”, do “estar” social. Mas, certas coisas foram recorrentemente faladas no consultório de psicoterapia (virtual e, infelizmente raramente, presencial) como faltantes. Muito, faltantes. A presença física. Os gestos, olhares e sorrisos. O estar junto. O aperto de mão. O afago amigável. A qualidade da troca e relação presencial. O abraço.


Em uma recente postagem em mídia social, lia-se: "Benefícios de um abraço: Alivia a tensão, reduz o estresse, ajuda na auto-estima, melhora o fluxo sanguíneo, é de graça. Então está esperando o que? Vem logo me abraçar!"


E...quando tal é pesquisado de forma mais cuidadosa, descobre-se que sim...tudo isto, e mais, são possibilidades trazidas por um abraço. E, tem muitas pesquisas falando sobre os diversos efeitos positivos trazidos pelo abraço, abraçar e ser abraçado(a). O abraço é um sinal de carinho e/ou consideração por alguém que conhecemos ou queiramos bem. Um gesto simples e bem-vindo para se aproximar de alguém, seja para confortar durante um problema ou para se acalmar após um dia difícil no trabalho. O abraço dado por alguém querido(a) de fato nos acalma e isso não é algo somente psicológico, foi comprovado em diversos estudos: O abraço faz bem para a saúde e precisa ser feito diversas vezes! E prolongadamente, se possível. Estar em contato corpo a corpo, a sensação de proteção, envolvimento, carinho, troca, interesse, presença, importar-se. O abraço libera oxitocina, o hormônio do bem estar e reduz os níveis do cortisol, conhecido como o hormônio do estresse.


Segundo artigo publicado em 2018 na Revista Veja: “O contato físico, entre casais, amigos ou familiares, pode aliviar estresse, melhorar a saúde cardíaca e impulsionar o sistema imunológico”. Também em artigo de 2018 a Revista Superinteressante: “Não, não é discurso religioso nem palestra de autoajuda. É um pedido de Tiffany Field, diretora do Instituto de Pesquisas do Toque da Universidade de Miami. Segundo ela, o contato físico faz maravilhas por sua saúde física e mental. Pode reduzir depressão, estresse e agressividade. E até mesmo combater o câncer.”


O abraço é um sinal de carinho e/ou consideração por alguém que conhecemos. Um gesto simples e bem-vindo e é uma forma de se aproximar de alguém, seja para confortar durante um problema ou para se acalmar após um dia difícil no trabalho. O abraço dado por alguém amado de fato nos acalma e isso não é algo somente psicológico, foi provado em diversos estudos que o abraço faz bem para a saúde e precisa ser feito diversas vezes!


“O estudo foi feito pelo corpo de cientistas da Carnegie Mellon University, que tem como líder o psicólogo Michael Murphy que resolveu estudar quais são os efeitos emocionais causados pelo abraço. O estudo analisou o cérebro dos voluntários e conseguiu explicar de forma acadêmica o que muita gente já sabia por aí. Ao todo foram analisados 404 homens e mulheres adultos e saudáveis para chegar à conclusão de que esse contato tão especial é muito eficiente.”


Seja para mostrar apoio ou para fazer alguém se sentir protegido, o abraço é muito mais útil que uma conversa, por exemplo. O comportamento é entendido pela pessoa como uma proteção contra um conflito, exibe a quem é abraçado uma disponibilidade de “suporte social”.


O cuidado, a empatia e o carinho empregados no abraço possuem uma grande importância no resultado do ato. As pessoas estudadas eram ouvidas por telefone por 14 dias seguidos e eram indagados sobre as experiências de vida e os conflitos sociais de cada dia. O estado emocional era descrito e era questionado se os voluntários foram abraçados ou abraçaram naquele dia. Um abraço em dia de conflito tinha relação com a melhoria do bem-estar emocional.


Os cientistas afirmam que oferecer um abraço ao invés de uma palavra amiga pode melhorar o dia de alguém, sempre respeitando o espaço dos outros, claro: “Existem pessoas que não gostam de abraços e isso precisa ser respeitado.”


“Um time de pesquisadores da CMU (Universidade Carnegie Mellon), em Pittsburgh, na Pensilvânia (EUA), liderados pelo professor de psicologia da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da CMU Sheldon Cohen, testaram se abraços funcionam como uma forma de “apoio social” e se a frequência de abraço seria capaz de proteger as pessoas de infecções associadas ao estresse, resultando em sintomas mais brandos de doenças.”


Pesquisas anteriores já mostraram que o estresse torna as pessoas mais suscetíveis a ficarem doentes.


“Sabemos que pessoas que enfrentam algum conflito são menos capazes de lidar com efeitos da gripe”, afirma Cohen. “Da mesma forma sabemos que as pessoas que admitem ter apoio social são parcialmente protegidas dos efeitos do estresse, em estados de ansiedade e depressão“.


Os pesquisadores analisaram 404 adultos saudáveis e, por meio de entrevistas telefônicas realizadas em 14 noites consecutivas, verificaram a frequência de conflitos interpessoais e abraços diários. Após os questionários, os pesquisadores expuseram intencionalmente os entrevistados ao vírus da gripe. Os participantes foram então colocados em quarentena e passaram a ser monitorados para ver quais desenvolveriam sinais da doença. Um terço das pessoas pesquisadas não desenvolveu os sintomas da gripe – exatamente aqueles que receberam mais abraços e apoio de pessoas de confiança. Em quem foi infectado, mas tinha uma frequência maior de apoio social – como os cientistas chamaram o ato de abraçar no estudo -, os sintomas da doença foram mais brandos.


Para Sheldon Cohen e sua equipe, o estudo sugere que ser abraçado por uma pessoa de confiança pode atuar como um meio eficaz de transmitir apoio e “o aumento da frequência de abraços pode ser um meio eficaz de reduzir os efeitos nocivos do estresse“.”


Vamos para Ação?


E ai, você sabia que haviam tantas pesquisas falando do abraço e dos benefícios deste?

Uma ação simples, agradável, gratuita e disponível para qualquer um!


Já abraçou alguém hoje? Um abraço demorado? Com intenção de envolver, cuidar, acariciar, estar junto com a pessoa?


A ação é simples, buscar um colega, um ou uma amiga, um ou uma parceira, um familiar e permitir-se abraçar e ser abraçado por tal pessoa. Tentando fazer isto por mais de 3 segundos, ou seja, deixe que o abraço se prolongue um pouco. Dedique-se a este gesto simples e tão reconfortante!


Abraçar uma pessoa que está precisando de um pouco de atenção ajuda a reduzir a raiva, ansiedade, tristeza e outras coisas que podem ser geradas durante uma conversa, mesmo que seja sem querer.


Nestes tempos em que muitos de nós estamos isolados, distanciados, calados, intocados, retraídos, tristes, sozinho(a), virtuais e online demais...este é um gesto simples e eficaz - quando possível e permitido – abertura, disponibilidade, corpo no corpo, coração com coração...estar junto. Abraçar!


Para pesquisar:


Abraço faz bem à saúde. Revista Superinteressante (2018) - https://super.abril.com.br/saude/abracar-faz-bem-a-saude/

Abraços protegem contra estresse, depressão, infecções e gripes diz estudos – Fãs da Psicanalise (2016) - https://www.fasdapsicanalise.com.br/abracos-protegem-contra-estresse-depressao-infeccoes-e-gripes-diz-estudo/

Abraços fazem bem à saúde. Disponível via Youtube (2018): https://youtu.be/Olw2mv-sAfA

Com estresse, abrace. Coluna de René Schubert para o Jornal Zen, Ano 16, N°191, Janeiro 2021 (in) https://jornalzen.com.br/wp-content/uploads/2021/01/JANEIRO_2021.pdf

Saiba porque o abraço faz bem à saúde física e mental. Revista Veja (2018) - https://veja.abril.com.br/saude/saiba-por-que-o-abraco-faz-bem-a-saude-fisica-e-mental/

Ashley Montagu - Tocar : O Significado Humano da Pele. Summus Editorial, 1988

Stanley Keleman, Anatomia Emocional. Summus Editorial, 1992


68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Contatos: