Empatia em tempos de Pandemônio

Por Silvana Garcia


Ficar em casa se puder, mas não julgar quem precisa trabalhar porque não tem recursos. Não julgá-lo como assassino e ameaçar que se morrer alguém de sua família é que vai sentir.


Sair se precisar, mas não acusar quem pode ficar de covarde ou de sanguessuga do governo por ter emprego público.


Ficar em casa se puder, mas não incentivar outros, pois não sabe o nível de miséria e de violência de cada lar.


Usar máscara para sair se quiser, mas não torturar com olhar e críticas aquele que sai sem em lugares públicos e abertos, pois cada um é que sabe o nível de estresse que está. Apenas ficar longe, por isso que há espaço.


Usar máscaras em lugares fechados por respeito a lei do local e a todos que ainda se sentem ameaçados. Se não gostar ou suportar, não entrar ali.


Estudar em casa se puder, mas não julgar um pai ou mãe que precisa que o filho volte às aulas porque é o único sustento da família e não sabemos sobre a saúde mental daquele responsável e do nível de estresse que pode haver naquele lar.


Ensinar por EaD, mas não julgar um professor que queira atuar junto aos alunos que precisarem voltar.


Ter sua preferência política, mas não acusar quem tem outra por palavrões.


Expor sua opinião sobre vacinas, mas não opinar se o outro quiser ou não ser vacinado.


Expor sua opinião sobre a política nacional e internacional, sem ofender políticos como se fossem seres não humanos.


Julgar e usar palavras de baixo calão só mostram que por trás de uma suposta superioridade intelectual há uma total falta de empatia.


Todas as atitudes tomadas de forma desesperada, sem levar em conta a vida material e emocional de cada um gerou muitas mortes, insanidade, desemprego e desespero. Transformou uma doença grave em um pandemônio.


Empatia é para com todos, não apenas para o nosso clã ou grupo de afinidades.


Justamente é a capacidade de se colocar emocionalmente no lugar do outro. Não é entender racionalmente e ter que ter paciência porque vê o outro como um ser inferior dado que tem um comportamento que não aprove.


Alguns mamíferos parecem apresentar empatia.


Empatia é o que nos torna animais superiores biologicamente falando.


Silvana Garcia é psicóloga, facilitadora e uma das fundadoras e administradora da Essencial terapias.

Site: http://essencialterapias.com

38 visualizações

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Contatos: