ENGRAVIDEI ANTES DE ENGRAVIDAR


Por Larisse Dias Pedrosa.



Anos atrás nasceu a vontade de ser mãe.


A vida me trouxe vários desafios e lá estava eu grávida de sonhos.


Quando recebi o primeiro não para gestar, o meu coração chorava junto com a minha solidão afetiva e esse era o “único caminho” que se apresentava a mim como mulher.


Eu tinha medo de ficar sozinha ao permanecer naquele caminho, mas ao mesmo tempo, outros caminhos exigiriam de mim atravessar por incertezas que me levariam à passos ainda mais solitários.


Eu não tinha nenhum problema físico, estava diagnosticada como fértil, saudável e boa idade, mas a minha vida afetiva estava adoecida.


Naquela época, o que eu precisava curar em mim estava invisível aos diagnósticos clínicos, mas abria-se no campo da compreensão espiritual e emocional.


Tomei a importante decisão de mudar a caminhada e seguir outro rumo.


Mais uma vez, eu estava grávida de sonhos.


Toda preocupação é tempo perdido e, apesar da alma desejar a realização, várias vezes perdi alegria no caminho.


Não é nada contra o passado, eu o reconheço e dou-lhe um bom lugar no coração, mas permanecer em direção à realização de um sonho movimenta o presente e em cada passo é possível encontrar a gratidão pela vida.


Então, chegou o real momento de engravidar.


Eu não imaginava que me sentiria tão sozinha na tentativa de ser mãe, pois mesmo que você tenha uma relação afetiva saudável, um companheiro que concorde com esse sonho e saúde física/emocional e espiritual, o caminho para a mulher que deseja engravidar também é solitário.


Mudei os dias com um novo olhar, cuidados físicos, uma diferente forma de usar o tempo e abri-me para o sonho desejado sendo mais presente como esposa e “dona de casa”.


Mais uma vez eu estava grávida de sonhos.


Percebi que os sentimentos e o corpo de uma “tentante” começam a mudar assim que ela olha para a maternidade.


No silêncio eu via e sentia a mudança em mim.


O grande dia chegou de forma natural e recebi a notícia que eu estava grávida!


Eu estava grávida de um bebê, mas junto com ele, mais uma vez, eu também estava grávida de sonhos.


Ao iniciar o 1º trimestre da gestação eu conheci um dos momentos mais bonitos e solitários da vida, pois ao mesmo tempo que dediquei todos os esforços para o desenvolvimento do bebê, eu não tinha o controle da gestação.


Eu nunca tinha experimentado tanta conexão com o corpo físico e espiritual ao mesmo tempo e encontrei uma relação grandiosa do SER MULHER.


Porém, a vida e o destino eram maiores que os meus sonhos e, pequena diante deles, conheci a maior renúncia de uma mãe para um filho: a “separação”.


Hoje, meses depois da minha despedida de gestar um bebezinho, despeço-me também do luto da gestação para engravidar novamente dos meus sonhos.


Com gratidão tudo é possível.

Larisse Dias Pedrosa

Idealizadora do Projeto: Um caminho que leva a cura da mulher: Mães e Filhas 🌷#projetomãesefilhas

Texto de homenagem a todas as mulheres que vivenciaram o aborto e a morte dos filhos.

107 visualizações

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Contatos: