Evolução das Constelações Familiares.

Por Amauri Moreira de Carvalho*



As constelações familiares tem abertura para que surja algo novo, por isso estão em movimento. Aqueles que acham que ela é perfeita por isso estática nessa perfeição deveriam olhar para a vida de Bert e perceber que ele sempre esteve em movimento, dando espaço e ampliando, buscando o novo sem se apegar a algo velho que traz em si um não ao novo.


Bert e Sophie Hellinger percebiam, cada qual a seu modo, novas dimensões e possibilidades no trabalho das constelações familiares e se colocam a serviço dessa evolução; eles não tem medo de se expor a esse algo maior ainda desconhecido, trocam entre eles suas percepções e ao aceitar com o sim a presença na força da experiência, incluem com consciência essa evolução.


Podemos identificar algumas fases nesse movimento de evolução das constelações.


A constelação familiar clássica foi no início, a pioneira onde o facilitador posicionava os representantes no campo e fazia muitas perguntas para o cliente; incluía apenas as pessoas da família mais próxima, ou seja, não levava em conta por exemplo filhos abortados, parceiros anteriores de um casal, havia pouca relevância para os movimentos ancestrais daquele sistema, era como se fosse um retrato do momento presente. Tinha muito mais frases e interferência do facilitador na constelação.


Os movimentos da alma são uma expansão em que Bert, a partir da observação da conexão fiel dos representantes com pessoas do sistema do cliente, em que os representantes sem ter a mínima ideia daquela família de alguma forma reagem como aquela pessoa representada, assumindo os sentimentos dela e até percebem sintomas físicos delas…com isso Bert se abriu para uma nova concepção e descobriu que existe uma alma em comum; o movimento da alma conecta as pessoas além do seu individual com sua família. Também há conexão em uma empresa, uma cidade, um país, uma religião, entre outras.

O facilitador da constelação passa a precisar de menos informações vindas das respostas às perguntas iniciais, ele renuncia a essa pseudosegurança de controle, e se entrega com confiança a essa grande alma que mostra o próximo passo e ele acompanha esse movimento dando sustentação, sem saber o que se mostrará no final, aberto se uma solução se apresentar. Ele sabe esperar.


Os movimentos do espírito são similares mas amplia uma compreensão, ou seja, enquanto a alma ainda tem algumas limitações que podem ser percebidas na boa e na má consciência, em aspectos de organização social e moral que tem seu valor ao pautar os relacionamentos humanos em busca de uma convivência em sociedade , no movimento do espírito a expansão e a abertura inclui tudo com amor, sabe que tudo está certo do jeito que se apresenta e assim o movimento de cura é mais amplo; mesmo pessoas que não são necessariamente daquele sistema constelado, por ressonância também podem se beneficiar.


As constelações mediais (e em algumas traduções esse medial é relacionado ao mediúnico) é a constelação que acontece de forma inconsciente ao facilitador, ou seja, ele está como instrumento e conectado a inspiração de uma outra consciência maior. O facilitador permanece no trabalho sem intenção, sem imagens, guiado a partir de um outro lugar, sem conhecimento prévio. É uma constelação que acessa outra dimensão e no campo que se forma existe o tempo presente, tudo está no “agora”, a linearidade de passado e futuro se dissolve e se estabelece uma conexão com esse nível espiritual atemporal.


Na constelação medial Bert fazia um trabalho breve e de grande profundidade, muitas vezes trazendo uma palavra que mostrava o essencial e tocava as pessoas no coração com grande amor, porque falava diretamente a alma delas.


A constelação familiar original Hellinger inclui tudo, muitas vezes não é necessário trazer o tema nem informar quem o representante está representando, as imagens dos movimentos trazem o essencial. E podem ser aplicadas em diversas áreas, não só no campo familiar. O trabalho do Cosmic Power, onde a respiração e a percepção no próprio corpo para perceber e se conectar com essa força cósmica, é uma chave para o constelador que adentra nas constelações familiares originais Hellinger.



Amauri Moreira de Carvalho é comunicador social formado pela ECA-USP

Constelador Familiar e buscador nos caminhos da espiritualidade

Contratado da Hellinger Schule desde 2017 para produzir os

vídeos dos cursos de formação e seminários no Brasil

0 visualização

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Contatos: