Manipulação.

Por Mateus Santos.


A manipulação dentro do relacionamento de casal acontece pelo medo de um perder o outro.


Em seu pensamento, o manipulador cria imagens do término do relacionamento, vive essas imagens e cria "soluções" que para ele são necessárias para que o final ao qual visualiza e mesmo que inconscientemente se sinta atraído.


Portanto, toda manipulação é imbuída de um princípio positivo para o manipulador. O objetivo de que o relacionamento se perpetue a todo custo e também, em alguns casos, para que não se descubra suas atitudes que afastariam a pessoa manipulada ou resultariam na realização da imagem do término do relacionamento.


É interessante a vivência nesse paradoxo, a imagem de um fim que não se quer realizar, que se realiza em sua mente através das imagens e das atitudes que é impelido em sua alma, em seu inconsciente a fazer. Isso tem a ver com um padrão sistêmico que também está relacionado ao ciúmes no relacionamento que é uma frase oculta que reverbera no relacionamento: " Eu te amo, mas vá embora!".


O que percebo nos relacionamentos onde esta frase está presente é a ligação com um amor interrompido em relação a mãe ou ao pai. É como se sua mente dissesse a si mesmo: "a pessoa que eu amo sempre me abandona, antes que me abandone vamos nos distanciar."


Mas ele faz de tudo para controlar, e se sentir seguro, pois toda insegurança que se cria é um gatilho inconsciente ligado ao momento da dor do movimento interrompido em que não sentiu o amor de seus pais e onde se perde a segurança da relação com a vida.


Quando adulto, perder o relacionamento tem a ver, inconscientemente, com a sensação de morte ou perda de tal relação com a vida. Então se manipula no que puder para restaurar a segurança e para que fique dentro de seus limites em que se sente seguro.


Todo motivo que gere a perda de tal segurança o leva a criar em sua mente rapidamente "soluções de controle". E ele faz isso com a boa consciência de que o relacionamento tenha paz.


Isso também contribui para que o casal saia do lugar de homem e mulher ou parceiros para o lugar de vítima e agressor e nesse contexto a vítima entra numa dinâmica interna que é perigosa para quem quer que ela busque para intervir em seu favor. Pois a vítima não quer solução e sim reparação com pessoas aliadas contra aquele que a manipula. Desmascarado, envergonhando ou causando a dor da separação que o manipulador tanto rejeitava mas que em sua alma sempre buscou pois naquela dor ele reencontra seu grande amor, na maioria das vezes sua mãe.


Existem mais aspectos e detalhes a serem estudados e identificados para encontrar o que realmente ajuda nesse relacionamento de casal. Onde ambos se encontram, se amam, geram uma história juntos em que ficam ligados pelo amor e pela dor e a grande arte é saber crescer para além disso. Para um amor adulto, correndo o risco de sentir as inseguranças, olhando para os defeitos e qualidades do outro e saboreando cada dia com a decisão de ficar um pouco mais e cultivando a relação como um jardim, cuidando, regando, adubando e tirado as ervas daninhas para florescer e frutificar. Sempre contribuindo com o movimento da alma que é a vida em movimento.

77 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo