O CAMIMHO DAS FILHAS.


A filha inicia a vida com a mãe, o seu amor igual.


Em seus primeiros anos de vida, a filha fica conectada com a esfera energética da mãe e constrói sua “psique” através dela.


Ela recebe o princípio feminino e aprende a se tornar uma mulher.


Isso significa que a filha sente o processo de vida da mãe desde a concepção, pois ainda no ventre, as emoções da mãe movimentam a formação da filha.


Todas as sensações são impressas e o caminho da filha em direção a vida é um reflexo disso.

Através da mãe, a filha aprende a se relacionar como mulher, com outras mulheres e, internamente, com os homens.


Ela observa como a mãe se comporta, como se relaciona com os familiares e com as pessoas de fora da família e, especialmente, como é tratada por todas elas.


Ela observa como a mãe se cuida e como cuida de suas coisas.


Toda mãe carrega o sucesso e o fracasso de sua história familiar e a forma como ela “tomou” sua origem e vive sua “realidade” faz toda diferença na vida da filha.


Por exemplo, a mãe que tem respeito pelo lugar dos pais dela e dos pais da filha dela na própria vida, consegue apresentar-lhe como o pai certo, liberando-a para um novo caminho na vida.


Internamente, a mãe diz:


- “Filha, você pode amar o seu pai como você me ama. Ame-o e receba o amor dele sem culpa, pois ele é o pai certo para você”!


Essa liberação no coração da filha permite que ela se entregue ao amor diferente – o amor pelo pai.


Esse amor no lugar certo - a filha como filha e o pai como pai - possibilita o caminho da prosperidade em sua vida.


Com a força da mãe, a filha recebe o suficiente da vida.


Com a força do pai, a filha faz o suficiente com a vida.


A filha cresce com o pai, o seu amor diferente.


Ainda na juventude, a filha se conecta com a esfera energética do pai, mesmo de forma idealizada.


Com o pai, a filha aprende a fazer as coisas acontecerem a partir dela e, passo a passo, toma a força em direção ao mundo.


Porém, a travessia de sair da esfera energética da mãe e ir até a esfera energética do pai com confiança é um longo caminho.


Quem nunca ouviu a mãe reclamar do pai?


Quem nunca viu a mãe cuidar do pai?


Quem nunca viu a mãe se afastar do pai?


Nos quadros que respondem as perguntas acima, a filha, aos poucos, aprende que o pai parece mais um menino na vida que propriamente um homem.


Para ela o pai não cresce.


Em alguns casos, sente o desejo de protegê-lo como se fosse um filho e, de maneira cuidadosa e exigente, busca ensiná-lo a ser melhor.


Em outros, se afasta por carregar uma imensa dor e raiva, internalizando a mensagem de que a ausência dele não faz diferença.


Nas duas situações, a filha toma partido da dor da mãe e se acha uma “mulher melhor” para o pai que a própria mãe.


Essa expressão soa polêmica, mas representa a força que a filha sente para enfrentar o pai, direta ou indiretamente, por achá-lo fraco como filho, marido e, especialmente, como pai.

Bert Hellinger nos trouxe a expressão “filhinha do papai” para mostrar a dinâmica oculta que ocorre na relação entre a filha e o pai.


Neste lugar, a filha não “toma” o pai como pai (ela enxerga o homem difícil da mãe) e perde a oportunidade de ter um pai presente no coração.


De maneira oculta, a reação da filha é guardar uma profunda decepção pela mãe. Afinal, toda filha deseja ter um bom pai na vida e, quando a realidade não corresponde, ela culpa a mãe com a mensagem velada: “Querida mãe, por que não escolheu um homem melhor para ser o meu pai”?


A filhinha do papai se infantiliza em vários setores da vida e desiquilibra o princípio feminino e masculino que existe nela.


O caminho de volta para a esfera da mãe não é fácil, pois exige da filha concordar com a história do pai, vê-lo apenas como pai e dar um bom lugar para ele no coração. Simultaneamente, é preciso fazer o mesmo com a mãe.


Na vida da filha, isso significa não esperar, julgar, criticar e não cobrar mais nada deles.

O tempo, o dinheiro, a saúde, a doença, a família, o casamento, a separação e tudo que diz respeito ao destino deles é deles!


A filha que, além da mãe, tem o pai presente no coração, possui confiança e coragem suficientes para fazer os seus sonhos mais sinceros se tornarem realidade.



Larisse Dias Pedrosa

Idealizadora do Projeto: Um caminho que leva a cura da mulher: Mães e Filhas 🌷#projetomãesefilhas


956 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Contatos:

WhatsApp-logo-as.png