Buscar

O que é Constelação Familiar?

Por Adriana Batista.



O QUE É CONSTELAÇÃO FAMILIAR?

Não é uma terapia nem um método. É um serviço à vida, pois beneficia a pacificação dos relacionamentos - conosco mesmos e com as pessoas com quem estamos envolvidos. De maneira especial, nos reconcilia com nossa família, com nossas origens e com nosso destino. O facilitador (constelador, advogado, magistrado, pedagogo ou outro profissional sistêmico), munido de um conjunto de conhecimentos aplicados, permite ao cliente descobrir dinâmicas ocultas que podem estar direcionando seus sentimentos, atitudes e decisões, de forma inconsciente.


Quando a pessoa (consultante) traz um conflito para ser olhado, não é necessário que a outra parte envolvida esteja presente, tendo em vista que a pacificação de um, beneficia a ambos - e ao sistema (grupo) onde estão inseridos, como um todo. Nossa experiência demonstra que as partes envolvidas num conflito saem do atendimento mais pacificadas consigo mesmas e abertas à conciliação.


Por isso, é um Movimento a Serviço da Vida!


QUE TEMA PODE SER CONSTELADO?


Qualquer tema que esteja trazendo inquietação ao assistido. Pode ser um sintoma, uma dor, um relacionamento, um conflito com alguém ou consigo. P.e.: alcoolismo (ou qualquer outro vício), depressão, dinheiro, trabalho, processo judicial, relacionamento amoroso (inclusive dificuldade para ter um), relação entre pais e filhos,...


Qualquer inquietação humana, pois toda desordem pode estar vinculada a uma dinâmica inconsciente.


A CONSTELAÇÃO TRAZ CURA IMEDIATA?


Sim e não. Vai depender do tema, da abertura do consultante (ao novo, àquilo que é revelado), se está disposto a mudar a postura... No entanto, ninguém sai de uma constelação da mesma forma que entrou, pelo fato de que algo oculto torna-se sabido. Gosto de fazer a seguinte analogia: uma coisa é comer uma sopa sem saber que nela há uma mosca. Depois que você descobre, surge um leque de opções: pedir outra sopa, pedir outro prato, parar de comer, e até continuar comendo a mesmo sopa. Porém, quem decide continuar, jamais comerá a mesma sopa da inconsciência. Após um atendimento, digo a meus clientes: “Você pode até permanecer agindo da mesma maneira, no entanto, perdeu o benefício da inocência. Daqui por diante, quando vivenciar esse incômodo, você vai saber o motivo, ainda que decida não mudar.” Adiciono a isso, que as pessoas só fazem aquilo que dão conta. Portanto, não cabe aqui qualquer julgamento. Todos têm legitimidade de se sentir como se sentem. Portanto, gosto de dizer, especialmente aos jovens: “Aja da forma que lhe convier, no entanto, ande pela vida de olhos bem abertos e assuma as consequências por suas escolhas.”


Isso é estar nas competências do adulto e despedir-se da criança.


Quem anda na vida de olhos abertos, toma decisões conscientes, portanto, não se coloca no lugar de vítima.


Quando assumimos responsabilidades recebemos poderes.


Mas isso é assunto pra outra conversa.


Forte abraço!



Adriana Batista - Facilitadora de Constelações pós-graduado em Direito Sistêmico.

Servidora Pública (1995), Advogada (1999), Pós-Graduada em Revisão de Texto em Língua Portuguesa (2014), concluiu a Extensão Universitária “A Constelação como Instrumento de Resolução de Conflitos no Poder Judiciário” (IDP - 2017), Mediadora/Conciliadora (CNJ - 2018), Pós-Graduada em Direito Sistêmico (Innovare em parceria com a Hellinger Schule/Alemanha e o CUDEC/México - 2016/2019). Desenvolveu projeto de Direito Sistêmico sobre Adoção na VIJ-DF apresentado no I Congresso Internacional Hellinger em São Paulo/SP. É facilitadora de Constelações com formação em Constelação Familiar, Estrutural e Organizacional, Coach Sistêmico, Pedagogia Sistêmica, Mindfullness, Eneagrama, Relação Silenciosa, Filosofia à Maneira Clássica, Thetahealing e Fototerapia Points of You.

Brasília, abril de 2019.

0 visualização

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram