Pais felizes, filhos felizes.

Por Marilise Klaus Einsfeld.


“Eu vejo o teu sofrimento, mamãe, estou aqui contigo e vou te ajudar!”


Muitas vezes, numa ocasião de muita dor e sofrimento um filho decide que vai “ajudar” a mãe ou o pai, a passarem pela situação sem que sofram tanto.


Este filho está carregado de amor, um amor que fará de tudo para ver sua mãe, ou pai, felizes de novo. Mesmo que este filho tenha que suportar a mesma dor.


O que não fica claro numa situação assim e os envolvidos nem percebem é que os filhos; não importa a idade, são pequenos diante de seus pais e tomar parte numa dor deles torna tudo mais difícil para todos, visto que estão ocupando lugares que não são os seus. Filhos não podem ocupar o lugar dos pais.


É bem comum que assim aconteça e Bert Hellinger descobriu esta “lei do amor”. Por Familienstellen é possível ampliar esta compreensão quando filhos ou pais percebem onde é o seu lugar certo.


Em cada família existe uma ordem de chegada e os mais velhos são os que chegaram primeiro, e portanto jamais os mais novos poderão se igualar a eles, simplesmente porque os mais velhos já estavam antes deles chegarem.


Os pais dão exemplo ao filhos, os pais mostram como lidar com a vida e com os problemas. Os filhos, ao seu tempo, irão fazer o seu melhor com o que aprenderam. E isso novamente será outro ciclo.


Se diante de uma dor ou conflito os pais permitem uma “invasão amorosa” por parte do filho que quer ajudar a evitar ou diminuir o sofrimento é impossível que isto funcione, pois os pais se sentirão como menores e o filho terá a sensação de ser maior do que seus pais, cuidando deles.


Durante uma constelação, se um filho tenta fazer algo para ajudar num assunto dos seus pais, os pais podem lhe dizer algo saudável assim:” Eu cuido dos meus assuntos. Isso é meu e eu consigo lidar com isso. Este problema não é seu”.


E então os pais podem cuidar de si para ficarem bem, para resolverem sua situação de forma adulta, tirando um aprendizado daquilo que estão vivenciando e assim se fortalecendo.


Sendo assim os pais podem olhar para o filho, e neste espelho o filho se vê e aprende, com respeito.


Que é possível cada um suportar o que é seu.


E, sim, é possível tomar decisões e arcar com as consequências.


E também que é possível se feliz mesmo depois de um grande sofrimento.


Para o filho é um grande alívio ver que seus pais resolvem seus assuntos e conseguem ser felizes. Numa situação de divórcio por exemplo, ambos os pais podem dizer ao filho: “Está difícil e me dói muito o que está acontecendo. Mas eu vou fazer de tudo para que minha vida seja ainda melhor agora, e serei feliz”.


O filho que vê seus pais fazendo o possível para serem felizes aprende que pode ser feliz também.


Portanto, pais, não se preocupem se seu filho é feliz!


Não se preocupem em dar coisas ou suprir de tudo para que sejam felizes.


O seu melhor legado como pais é assumir suas responsabilidades e serem felizes!


Marilise Klaus Einsfeld é facilitadora para Constelações Familiares – Familienstellen - e faz parte da equipe de multiplicadores da Hellingershule no Brasil.


84 visualizações0 comentário

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Contatos:

WhatsApp-logo-as.png