Buscar

Pandemia e Visão Sistêmica.

Por Adriana Campidelli


Como alguém que se coloca a serviço, o corona vírus, mesmo invisível, pede visibilidade. Conforme olhamos para ele em seus efeitos, olhamos para onde ele olha, o que ele toca, o que ele revela. Neste fenômeno já não cabe a estreita visão de maldição, ou pagar por algum erro, mas aprendizado para um futuro diferente.


Nossa limitada visão está se acostumando, bem devagar, no ritmo da alma, a perceber que atua em nós mais do que o desejo fracionado de nossa personalidade, estamos todos ligados!


A humanidade segue seu destino, a vida no planeta flui para todos e com o toque de cada um. Estamos desafiados como coletivo e como individualidade a incorporar uma nova visão da vida.


Temos observado com a ajuda das Constelações Sistêmicas, que atuam em nós regras silenciosas e avassaladoras, essas regras trabalham a favor da fluência da vida.


Neste grande coletivo chamado humanidade, todos temos um lugar próprio. Cada povo, cada etnia, cada raça cada cultura compõe o todo humanidade, simples, o todo não seria este todo se você não fizesse parte dele. Você exatamente como você é, e ele e ela, exatamente como são.


A lei sistêmica do pertencimento exige inclusão sem distinção.


A vida segue em frente com a sucessão de gerações, a vivência do mais velho reverenciada pelo mais novo lhe dá força para seguir olhando na direção da vida para construir o novo.


Queridos ancestrais, sigo com vocês em meu coração, todas as pedras que vocês quebraram tornaram meu caminho possível e preparo o caminho para quem vem depois.


Precisamos nos reinventar, atentos ao legado de quem veio antes, nos abrir para novas possibilidades.


Precedência, a segunda lei sistêmica, respeita a fluência natural da vida: Morre quem contribuiu primeiro, fica quem naturalmente gesta o novo porvir.


A terceira lei fecha com simplicidade a contribuição das constelações para a humanidade. Equilíbrio entre o dar e o tomar.


Enquanto nos responsabilizamos pela gestão integral de nossa casa, a comida que comemos, a limpeza de nosso banheiro, administramos o fluxo do dinheiro que vai circular nos próximos meses, cuidamos da dignidade de nossos idosos, fácil perceber o que perdemos na rotina de confinamento...


O que disponibilizo para o outro, ele retorna com seu expertise. Mas, o que ofereço e o que tomo está em equilíbrio?


Não vamos “combater” o Covid 19, mas abrir passagem para ele, tomando o tempo necessário para que ele tenha um lugar entre nós. Quem sabe este tempo seja suficiente para integrarmos a visão sistêmica! Para nos aprontarmos e fazer o novo!


Benção meu pai, benção minha mãe. Eu os abençoo meus filhos.



Adriana Campidelli

Psicóloga

Minha contribuição além de meus três filhos, é o apoio ao crescimento das pessoas através da Psicoterapia Transpessoal e das Constelações Sistêmicas.

Site: https://www.institutopraesentia.com.br/

128 visualizações

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram