Porque constelar?

Considerações sobre Constelações Familiares segundo Bert e Sophie Hellinger /Hellinger Sciencia® conforme conheço

Por: Jana Strzygowski.


“No final, a Hellinger Sciencia é uma ciência universal do amor. É a ciência do amor que inclui tudo da mesma maneira”. - Bert Hellinger - O Amor do Espirito - Ed. Atman


O processo de abertura para o NOVO se inicia no cliente, antes mesmo dele decidir constelar.


Acredito que quando decide constelar já esta atuando a força de solução* que vem de seu próprio sistema, portanto, quando a constelação acontece já é o resultado de uma busca interior que se iniciou muito antes do próprio desejo de constelar.


Talvez por isso os resultados das constelações sejam tão efetivos.


*Entenda aqui “solução” por qualquer resultado que se apresente, seja um movimento, uma nova imagem, um novo olhar, uma despedida, uma dor latente que se apresenta, esse é um presente ao cliente, sua própria verdade.


É exatamente isso que a alma dele veio buscar.


A verdade do seu sistema, portanto, a sua verdade, é o que existe de melhor para você neste momento, é a partir da verdade que tudo se constrói.


A constelação nos leva a olhar para nós mesmos e nossas próprias atitudes perante a vida. Postura exigida a qualquer adulto que deseje evoluir e amadurecer.


O impulso para constelar deve surgir à partir de um desejo profundo, interno, alguns podem dizer “chamado” que pode ou não surgir de um desconforto, com o qual não podemos mais conviver. Seja algum padrão familiar que se repete, seja algum desentendimento, algum fracasso, algum sintoma, até mesmo físico.


Quando o desejo de constelar surge à partir de um real desejo de mudança ele tem força, pois exigirá da pessoa coragem para daquilo que emergir fazer novas escolhas e ter novos padrões de comportamento. Neste sentido e começando deste lugar, a constelação é uma benção* para o constelado e todo o seu sistema familiar.


*Benção aqui no sentido de paz para seguir (sem qualquer cunho religioso).


O que acontece na constelação?


Geralmente o que surge nas constelações não é o que esperávamos, mas mesmo quando muitas vezes, aparentemente descontentes com o resultado, algo toca nossa essência logo começa ou começará a fazer sentido. Exige tempo e requer certa humildade para se perceber e receber seu potencial máximo.


Constelações não são curas milagrosas nem atuam sozinhas.


As constelações não fazem por nós, elas apenas nos mostram como o nosso sistema está e como estamos diante dele. Tornando assim a pessoa mais consciente, e portanto, mais apta para agir agora à partir de um novo direcionamento.


Algo que estava pronto, às vezes esperando há gerações para emergir, poderá se apresentar e ao ser visto e incluído pode até acalmar toda a tensão que existia anteriormente e isto é um grande alivio para a pessoa e todo o seu sistema.


A nível energético a constelação coloca algo em movimento.


Muitas pessoas me relatam que tem “medo” das constelações e do que possa surgir, para essas digo: “Não Faça”.


Sim, é necessária uma certa coragem para constelar.


Isto implica estar aberto para o NOVO. Aberto para estar errado quando se acreditava certo, aberto para estar certo quando se acreditava estar errado!


Pessoas maduras e emocionalmente bem equilibradas podem se beneficiar enormemente deste trabalho!


Em cada constelação todo o grupo se beneficia.


Constelador, constelado, representantes, participantes.


Todos são impactados e recebem aprendizado do sistema que se apresentou e trouxe a todos compreensões, insights e, portanto, expansão de consciência.


Acredito que o impulso interno de participar de um grupo de constelações também tem a ver com um chamado interno, eu mesmo reconheço em mim algo que posso receber ali, então vou, e ao participar existe a troca, eu dou e recebo.


O que acontece nos encontros entre pessoas que frequentam grupos de constelação vai além das palavras, compreensões distintas se dão em cada participante e algo se expande em todos. Sem sequer precisar compartilhar compreensões percebemos uns nos outros que algo bom, além de nossas compreensões, se deu.


Além do fato de todos os participantes serem beneficiados se beneficiam também todos os sistemas de quem participa em uma incrível expansão coletiva.


Mesmo que eu não comunique a ninguém a minha participação ou minha mudança pessoal ela é sentida pelo meu grupo de convívio, o novo olhar que recebi agora tenho para oferecer e assim segue sem sequer nos darmos conta da magnitude que isso alcança.


Cada percepção recebida, cada insight, agora faz parte de mim. Cresci um pouco.


Isto sempre é algo bom, relacionado a inclusão, a mais generosidade, a um olhar mais amplo e portanto, a mais capacidade de amar.


Nesta medida entende-se as constelações como um serviço a própria vida humana.


Não é magica, não é milagre, não vidência, não é religião nem espiritismo.


Constelação tem a ver com empatia e compaixão, no sentido mais amplo dessas palavras.

Qualquer pessoa pode ser um constelador?


A forma como aprendo na Hellinger Schule e através de todos os mestres que admiro e dos quais recebo muito, me leva a afirmar que sim, todos temos este potencial.


É necessário, em primeiro lugar trabalhar a si mesmo, como indivíduo. E ter isso como meta constante e infinita pois há sempre uma camada mais profunda a ser explorada, a mudança é constante. Isto exige coragem.


Autoconhecimento, da forma mais profunda e generosa que pudermos nos proporcionar, olhando internamente para nossas sombras, preconceitos e julgamentos. Até chegarmos ao ponto de entender que tomar qualquer partido é também excluir o lado oposto, portanto, permanecer na guerra e desse lugar não se ajuda ninguém. Ou seja, a neutralidade e aceitação em relação a à diversidade da vida tal qual ela é. Assim se forma um constelador.

O constelador deve ter uma empatia sistêmica com o cliente e não se deixar levar por seus desejos ou lutas pessoais. Por empatia sistêmica entendemos que o constelador deve olhar para o cliente inserido em seu próprio sistema (seus pais, avós, bisavós, a família como um todo, os filhos, sua religião, etc) e à partir desse olhar abrangente estar de acordo com todos, assim como se apresentam. TODOS.


A postura do Constelador é muito importante. Ela deve ser:


- estar a serviço (de Algo maior, da força da vida)

- humilde

- centrada, estado de presença

- sem julgamento

- sem intenção

- com coragem, sem medo do que possa se apresentar


Bert Hellinger nos dá uma nova compreensão sobre o que é AJUDA.


Nosso julgamento e o querer ajudar à partir do que é certo para nós mesmos pode ser um grande erro.


Um novo mundo se apresenta para nós quando decidimos, por livre escolha, abrir mão de nossos julgamentos.


A ajuda é dar ao outro a oportunidade de receber a nosso respeito a sua força e ao seu destino.


Constelações vieram para ficar, são uma nova forma de acesso ao conhecimento.


Gosto muito de acompanhar o trabalho e a evolução das constelações em si, em mim, nos meus colegas, no meu sistema. Eu amo fazer parte deste grupo de pessoas que fizeram esta escolha de forma consciente.


Sei que minha evolução só é possível por conta do auxilio e suporte de cada um que, junto comigo, sustenta esse desejo coletivo de mudar a si mesmo em prol de um coletivo melhor mais compassivo e amoroso.


Somos imersos neste mesmo campo morfogenético, atuamos nele e somos também afetados por ele. O conhecimento gerado por cada um de nós é compartilhado através deste campo de informações. Damos e recebemos na mesma medida, trata-se de um crescimento coletivo.


Obrigada pelo tempo dedicado a esta leitura,

Receba meu carinho e consideração


A filosofia/teoria das constelações é vasta e complexa.

Bert Hellinger nos legou com “AS ORDENS DO AMOR”:

- Pertencimento

- Hierarquia

- Equilíbrio entre as trocas.


No próximo texto falarei um pouco sobre essas “leis” e sua atuação em cada um de nós.



Jana Strzygowski é Pós Graduanda em Constelação Familiar na primeira turma de formação em Constelações Familiares Hellinger Schule /faculdade Innovare (2016/20). Tem Formação básica e avançada em constelações na área da Saúde e Empresariais com Renato Bertate (único docente Brasileiro da Hellinger Schule Internacional (2018/19). Formação em constelações com Cristina Maruju (2016/2017). Formação avançada com Usrula Frank e Thomas Bryson (2018), participou dos Workshops de Sophie Hellinger (2016 e 2018) e do Congresso Internacional, o DNA das Constelações onde estiveram presentes todos os docentes da Hellinger Schule. Workshops de Constelações Empresariais com Thomas Wittig (2018). Cosmic Power com Deborah Meyer (2017) e com Anna Wagner (2019). Somando mais de 880hs certificadas de Formação em Constelações.

220 visualizações

NOSSAS REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Contatos: